CHINCHILAS - CAVIMORFOS

VIDA MÉDIA
10 - 20 ANOS
MATURIDADE SEXUAL
8 MESES
CRIA
NOVEMBRO A MAIO
GESTAÇÃO
111 DIAS
NUMERO DE FILHOTES
1 - 5 FILHOTES
DESMAME
6-8 SEMANAS
VIDA FÉRTIL
14 ANOS
TEMPERATURA
10-20 AMBIENTE
T CORPORAL
36 - 37,8 C
PESO ADULTO
400g - 600g

CONSELHO PARA CRIAÇÃO:

MANEJO

Diariamente, distribua aos animais alimentos de origem vegetal, principalmente alfafa seca, e ração peletizada para chinchila. Essa ração é composta de aveia, cevada, milho, soja, farelo e germe de trigo, malte seco, amido, sais minerais, albumina de ovo e complexo vitamínico.

É importante fornecer a alimentação em pelotas, para que haja desgaste dos dentes da chinchila.

Observe cuidadosamente as fezes, todos os dias. Elas devem ser abundantes e secas. Verifique a abertura das banheiras e feche-as logo após o banho das chinchilas. Diariamente, veja se os bicos de água estão funcionando bem, coloque água no recipiente distribuidor, forneça alimentação, troque os jornais coletores de fezes e faça o registro diário dos nascimentos e acasalamentos.

As chinchilas precisam de um banho diário para manter o pêlo sedoso, brilhante, mas sem o uso de água. Por isso, coloque nas banheiras cerca de 10 colheres (sopa) de carbonato de cálcio. O produto é um pó bem fino, que tira a sujeira e oleosidade do pêlo. Troque-o a cada oito dias. Faça semanalmente a limpeza dos comedouros e bebedouros. Não deixe acumular alfafa úmida para que não haja diarréias.

Recomenda-se que diariamente, ou pelo menos 3 vezes por semana, a banheira seja colocada à disposição da chinchila cheia de carbonato de cálcio para que ela tome o seu "banho". O carbonato de cálcio limpeza as impurezas dos pêlos e pode ter a adição de produtos opcionais que reduzam a oleosidade do pêlo, como o "fuller".
A quantidade de carbonato de cálcio a ser colocada na banheira deve ser equivalente a 10 colheres de sopa. Este carbonato de cálcio pode ser reaproveitando para outros banhos, a não ser que a chinchila tenha urinado na banheira. Nesse caso, jogue fora e coloque carbonato de cálcio novo. Caso contrário, peneire o material (retirando possíveis fezes) e ofereça novamente, no banho seguinte.
Recomenda-se ter uma rotina para tudo em relação à sua chinchila, inclusive um horário determinado para o banho. É recomendável que o banho ocorra após o passeio da chinchila.
O banho é indispensável para a chinchila, pelo menos 3 vezes por semana. Na ausência dele, pode ocorrer estresse e aparecimento de doenças e fungos.
Não dê banhos com água nas chinchilas! O banho com água deve ser dado apenas em situações extremas de muito calor!

GAIOLA -

É preferível criar chinchilas em gaiolas ou em viveiros fechados, evitando-se criar em espaços abertos. Chinchilas são animais que adoram roer tudo que vem pela frente. Criar como um cachorro por exemplo, pode gerar: móveis rasgados e mordidos, fezes e urina pela casa além do risco da chinchila em si, que pode morder um fio ou derrubar alguma coisa que origine uma queimadura ou choque elétrico.
É importante que o lugar onde ela esteja não seja muito pequeno. Recomenda-se ter gaiolas grandes onde o animal possa brincar, pular, de preferência de mais de 2/3 andares. Deve haver espaço para todos os acessórios (ver abaixo).
Evite também gaiolas onde o chão do primeiro andar (térreo) seja uma grade, pois isso estressa os animais. É preferível que eles pisem diretamente na serragem.
O alojamento deve ficar longe de outros animais (como gatos), sobre piso frio preferencialmente (evitando carpete) e em local fresco onde não haja muito calor, pois as chinchilas se sentem mal em temperaturas altas. Também deve ficar longe de cheiros fortes de produto de limpeza ou tintas, que irritam o animal e causam alergias.

Cuidados com a limpeza do alojamento: Usar serragem apenas especial para chinchilas (feita de pinus), pois outras serragens podem ser prejudiciais às chinchilas. Trocar a serragem uma vez por semana pelo menos, lavando a bandeja e outras partes da gaiola usando água e sabão de coco ou água sanitária muito diluída.

LOCALIZAÇÃO -

COMPORTAMENTO:

REPRODUÇÃO

A temperatura ideal para a criação de chinchilas é de 18° a 22°C. Como elas não toleram temperaturas muito altas, instale um ar-condicionado no local da criação. Ligue-o no horário das 11 às 14 horas, nos dias quentes.

Aos sete meses de vida, a chinchila pode começar a procriar. Ela é muito ativa nos dez primeiros anos de idade, tendo, em média, dois partos por ano, com dois filhotes de cada vez, chegando até a quatro filhotes por cria. Antes de começar o acasalamento, programe os grupos ou famílias. Verifique o sexo dos animais, para não colocar dois machos juntos e evitar brigas. De preferência, faça a escolha combinando as cores, o temperamento, a produção dos pais e jamais cruze parentes, para não haver problemas de consanguinidade.

Escolhidos os animais, deixe o macho circular no corredor das gaiolas das fêmeas dez dias antes do acasalamento, para ele se acostumar com elas. Aí, então, abra as portas das gaiolas. Para impedir que uma fêmea passe de uma gaiola para outra, coloque um colar no pescoço de cada uma. O colar possui diâmetro maior que a abertura da porta e pode ser adquirido no mercado. Em geral, a cada 28 dias, a chinchila têm um cio e um período de ovulação de tr6es a cinco dias. É nesse período que os animais se cruzam.

Confirmada a prenhez anote a data do cruzamento no cartão da gaiola e certamente os filhotes nascerão 111 dias depois. A fêmea prenhe perde peso logo no início, ganhando, a seguir, 20 gramas por semana durante dois meses. Nesse período, o peso fica estável, podendo-se determinas, com base no peso, quantos filhotes terá. Se aumentar um total de 80g, nascerá apenas um filhote; se aumentar 100g, 2; mais de 150g, 3 ou 4. Durante a gestação, a fêmea precisa de mais alfafa, para garantir maior produção de leite.

Cerca de cinco dias antes do parto, coloque um aquecedor jundo ao ninho. Também nessa época, suspenda os banhos com carbonato de cálcio e durante os dez primeiros dias após o nascimento das crias, também. Geralmente, a chinchila tem os filhotes durante a madrugada ou bem cedo. Para saber se ela está em trabalho de parto, basta observar o nariz. Ele fica molhado, pois ela tenta puxar o filhote e estoura a bolsa de água.

O período crítico para a mão e para a cria são os dez primeiros dias após o parto. As atenções especiais começam logo após o parto. Pese os filhotes, identifique-os por sexo e classifique-os da seguinte maneira: animais com peso abaixo de 39g em geral morrem; com mais de 41g, são do tipo C; de 42 a 54g, tipo B; com 55g, tipo A. Anote todos esses dados no cartão da gaiola.

Oito horas após o parto, abra novamente o corredor do macho para novo cruzamento. Anote, se confirmado. Depois disso, observe bem a mãe e a cria. Se houver ferimentos nos mamilos da mãe, lixe a superfície aguda dos quatro dentes da frente dos filhotes. Use um disco de esmeril ou lixa. E se os mamilos estiverem machucados, em consequência das mordidas, passe bálsamo para tetas, do mesmo usado para vacas, ou pomada de penicilina. Ambos são inofesivos para a cria.

Veja se a mãe tem leite suficiente para os filhotes. Se houver inchação ao redor dos mamilos, apontemos para tirar o excesso do leite. E, no caso de mães que não produzem leite durante os quatro primeiros dias após o parto, alimente os filhotes artificialmente. Mas não dê alimentação artificial a todos os filhotes, pois eles se acostumarão e o leite poderá secar, causando o encaroçamento das tetas e outros problemas.

Caso o leite não seja suficiente para a cria, dê à mãe, a cada três horas, durante 24 horas, Orastine 1/2 em subcutânes. E, se precisar alimentar os filhotes artificialmente, use três partes de leite em pó Nestogeno desnatado, uma parte de Dextrosol, 12 de água morna fervida e meia parte de Gerval proína Autrinic. Depois de misturar tudo muito bem, pingue o leite devagar, com um conta-gotas, na boca do filhote. Espere ele engolir, respirar e depois dê nova gota até ele ficar satisfeito. Faça essa alimentação a cada quatro horas e suspenda-a durante a noite, se o filhotinho não estiver muito fraco.

Os filhotes começam a morder ração e alfafa a partir de dez dias de nascidos. Deixe-os com a mãe até os 45 dias. Desmame-os nessa época e coloque-os em gaiolas até completarem quatro meses, oferecendo-lhes ração peletizada e alfafa. Para evitar cruzamentos entre irmãos, separe-os por sexo, aos quatro meses. E aos sete/oito meses, coloque as fêmeas para acasalamento. E também a partir dessa idade que os machos estão no ponto de abate.

Para obter peles de ótima qualidade, observe o ponto de maturação das peles. O ideal é quando o pêlo da chinchila atinge maior tamanho, brilho e sedosidade. Verifique o ponto ou "prime", desse modo: pegue o animal cuidadosamente, para evitar quedas, sopre o pêlo das costas - do pescoço até a cauda -, para verificar a cor da epiderme. Se a pele estiver branca ou levemente rosada, está no ponto certo de maturação. Se a pele ainda estiver azul, espere mais um pouco para a maturação. Isso acontece entre o 7° e o 10° mês de vida.

Acessórios

O alojamento deve ter vários acessórios próprios para a chinchila. Existem muitos acessórios no mercado, mas abaixo seguem-se os principais:
- Bebedouro: recomenda-se não usar bebedouro para hamster ou para pássaros. É melhor usar aquele em que a chinchila deve morder para conseguir água.
- Comedouro: evite materiais de plástico para que a chinchila não roa. Dê preferência a um comedouro de metal.
- Porta-Alfafa: dê preferência à porta-alfafas de metal, que ficam do lado externo da gaiola.
- Banheira: recomenda-se usar uma banheiro com a parte de cima removível, grande o suficiente para a chinchila rolar e espalhar carbonato de cálcio pelo corpo inteiro.
- Tocas: as tocas devem ser lugares pequenos onde a chinchila durma e se sinta segura. Se tiver mais de uma chinchila na gaiola, é recomendável colocar mais de uma toca, embora algumas chinchilas prefiram dormir juntas.

ALIMENTAÇÃO:

É recomendável que as chinchilas tenham uma alimentação equilibrada e saudável, que deve ser fornecida em horários fixos. Deve haver disposição de água o tempo todo, de preferência filtrada, mineral ou fervida. Evite superalimentar sua chinchila pois isso pode acarretar problemas no estômago e no intestino.
A chinchila deve ter a disposição, diariamente, os seguintes alimentos:

- Ração Peletizada: uma chinchila adulta precisa comer entre 20 e 30 gramas de ração por dia, dadas preferencialmente de noite. Pode ser dividida em 2 horários, desde que o total de ração dado no dia seja entre 20 e 30 gramas.
- Alfafa: a alfafa deve ser fornecida às chinchilas uma vez a cada dois dias (dia sim, dia não). Dar um bloco ou maço pequeno de alfafa a cada "dia sim".
- Suplemento Alimentar: parte da alimentação que é opcional, porém recomendada. Fornecer o suplemento na quantidade de 10 a 15 gramas alternando com a alfafa. Exemplo: dia sim - alfafa, dia não - suplemento, dia sim - alfafa, dia não - suplemento e assim por diante.

Petiscos:

- Uva Passa: 1 ou 2 unidades por dia
- Maçã sem casca: dar a quantidade de 1 ou 2 pedaços, 2 vezes por semana. Se a maçã for orgânica sem veneno, pode ser dada com a casca. Também pode se dar maçã desidratada sem açúcar.
- Outras frutas: Pêra, mamão desidratado, banana
- Abobrinha e chuchu (cozidos, com uma pitada de sal)
- Cenoura fresca sem casca, (se possível sem agrotóxicos ou conservantes (orgânicos)) - uma a duas vezes por semana, dois a três pedacinhos pequenos.
- Chinchilas também gostam muito de chicória, mas como sempre, evite excessos e dê quaisquer destes itens em pequenas quantidades.

As chinchilas não devem ser superalimentados pois acarretará problemas intestinais com muita frequência. Então, coloque sempre a quantidade certa de comida para cada dia. Assim como a superalimentação, a falta da mesma ou alimentação inadequada (ração / alfafa / suplemento), poderá ocasionar problemas de desnutrição, desenvolvimento inadequado dos filhotes, problemas de lactação, etc. Oferecer petiscos em excesso vai fazer com que a chinchila deixe de comer os itens necessários.
Fêmeas que estiverem amamentando deverão receber uma quantidade um pouco maior de comida. Deve-se considerar que a partir de 6 a 10 dias após o nascimento os filhotes também começam a comer ração.
Fique atento para que a ração nunca esteja úmida ou com mal aspecto. Ração, alfafa e suplemento alimentar nunca podem ficar mais de 120 dias estocados. Você pode deixar o suplemento na geladeira diminuindo as chances de que azede.
Verifique periodicamente os bebedouros automáticos para ter certeza de que as chinchilas não estão sem água fresca.